sábado, 4 de abril de 2009

Sebos e Descobertas

Mais de uma pessoa já me perguntou se li o Código Da Vinci, de Dan Brown. Vi o filme e não gostei. Pra falar a verdade, achei péssimo. Mas não foi por isso que deixei de ler o livro. Só não li porque ele não me escolheu. Eu acredito nisso. Livros, LP’s, CD’s, shows, HQ’s, peças de teatro e filmes, possuem essa faculdade: a de escolher público, leitor, ou ouvinte.
Me dei conta disso um tempo atrás, quando não era comum as pessoas terem computadores em casa, muito menos internet. Naquela época – e não pense que porque eu disse naquela época, significa que faz muito tempo, ou que sou mais velho do que você imagina; eu estou falando do início dos anos 90, tipo assim, 93, 94, certo? – o meu Google era um Sebo lá em Sto. Amaro, na Brigadeiro Luís Antônio, ou no Centro de SP [será que ainda existe o Sebo do Messias?]. Era lá que as coisas me escolhiam.
Como eu não conhecia muita coisa além daquilo que os amigos me apresentavam, ou que eu via e ouvia em casa, na TV, ou no rádio, acabava investindo R$ 5,00 ou R$ 10,00, em algo que me chamasse a atenção – que me escolhesse.
A “flauta mágica” do Jethro Tull, eu só ouvi porque fui seduzido pela capa mais que fantástica do álbum The Broadsword and The Beast. Como no dia eu tinha R$ 8,00, e o LP custou 5,00, investi o troco num outro vinil, mas de um francês que tocava violino: Jean Luc Ponty [Mauro, falei com você sobre esse cara, ontem. Lembra?]. Nunca tinha ouvido falar em nenhum dos dois, mas eu tinha R$ 8,00 e as capas eram legais.
Em casa espirrei feito um doido. A poeira de Sebo é bem criada, poderosa, dessas que grudam e só saem com Veja. E claro, provocam séries de espirros intermináveis em pessoas que sofrem de rinite, como eu. Mas depois, de nariz assoado e vinil lavado, ouvi, ouvi e ouvi as aquisições. Estranho, diferente e... gostei!
Esses dias fiz o download de umas músicas do Jean Luc Ponty. Mas a facilidade de conseguir outras, ou mesmo a sua discografia, faz com que você acabe deixando de lado as que acabou de baixar, sem ao menos ouvi-las com a devida atenção. Por isso, experimente ser escolhido por alguma coisa em um Sebo, livraria, ou sei lá onde. Essa descoberta pode ser interessante. Na pior das hipóteses você vai dar um passeio, sair da frente do computador e espirrar.

Aqui está um site onde você pode encontrar alguns endereços de Sebos em SP: Sebos da Grande São Paulo
E abaixo, a capa fantástica do LP do Jethro Tull:


Abraços!

Um comentário:

Camilla disse...

Seu rato de sebo! :)

O Sebo do Messias ainda existe, sim. Precisei de um livro essa semana mas não achei lá. Tive que apelar para a internet, que tem suas vantagens e desvantagens: os espirros são evitados, mas ler com a cabeça encostada na janela do ônibus é impossível. Além dos vários erros que jás achei nos livros que estão na net. Não sei qual é o critério e nem como os livros vão parar lá, mas sempre tem erros que no original, obviamente, não tem.

Ah, também odiei o Código. Li e vi, mas não gostei. Preferi Anjos e Demônios.

Adorei o lance das obras que te escolhem. Fazem muito sentido para mim.

Super beijo, Carlos.