domingo, 2 de maio de 2010

Diário de um leitor

Procurar livros é um ótimo pretexto para sair, passear, aproveitar um dia de sol como o de ontem. Por isso, na sexta-feira à noite, fiz uma busca no site Estante Virtual, para conferir se um sebo que gosto de frequentar, em SP, tinha O Diário de Anne Frank. Não tinha. Mas descobri um livro chamado Anne Frank: o outro lado do diário, que conta a história da mulher que ajudou a esconder a família Frank. Bem, não foi perdida a visita ao site.

No sábado, passei com minha esposa pelo shopping Eldorado e encontrei duas edições do livro na Saraiva. Mas como na Av. Pedroso de Moraes há muitos sebos e íamos almoçar por lá, imaginei que encontraria uma boa edição com bom preço em um deles. Sem saber, havia começado a minha epopeia atrás da Anne Frank.

O diário de um leitor de Anne Frank

Sábado, 1º de maio de 2010.

15:11 – Estacionamos o carro em um supermercado na Vila Madalena e fomos caminhando até a Fnac, na Av. Pedroso de Moraes.

15:52 – Sebo Dom Quixote. A menina que trabalha no sebo não sabe se tem o livro. Depois de alguns minutos desistimos de encontrá-lo em meio a tantos livros. (Antes de ir embora, vi a coleção completa do Asterix, encadernada. Deu vontade de comprar...) A menina nos diz para irmos ao “toldo amarelo”, outra loja do Dom Quixote.

16:03 – Dom Quixote (2).
“Tem O Diário de Anne Frank?”
“Acho que está na Vitrine.”
“Não, não está.”
“Só um minuto que eu já vejo para o senhor.”
Enquanto isso, eu encontro em uma das estantes o livro Anarquistas, graças a Deus, da Zélia Gattai, a esposa (já falecida) do Jorge Amado. Puxa, eu vivia atrás desse livro! Por R$ 18,00 não tem como não comprá-lo. Minha esposa encontra uma biografia do Shakespeare. E o tempo passa e nada da Anne Frank chegar...
“Olha, vi até na outra loja. Não temos mais.”
Compramos os dois outros livros e atravessamos a rua, caminhando em direção a outro sebo.

16:19 – “Você tem O Diário de Anne Frank?” Uma consulta no computador e: “Não.”

FOME, FOME, FOME...

16:46 – Na Fnac, a vendedora nos diz que tem um livro constando no estoque, mas, mesmo depois de conferir nas muitas prateleiras da loja, não o encontrou.

17:15 – “Vamos almoçar e passamos na Livraria da Vila. Lá vai ter com certeza.”

18:20 – Fechada. “Ah, não... Hoje é feriado, Dia do Trabalho...”
“Na volta para casa passamos no Shopping Butantã, é caminho.”

19:17 – Na Nobel: “Está em falta.”
Nessa hora eu comecei a acreditar que muitos leitores do Sétima Aula tinham comprado os exemplares do Diário de Anne Frank. Fomos ver no Carrefour e nada; nas Americanas, muito menos. “Aqui perto tem uma Laselva.” “Vamos lá.”

19:32 – Laselva: “Não consta no sistema...” Só me restava a livraria Saraiva do Shopping Jardim Sul.

20:09 – Na primeira gôndola, de frente para a porta de entrada da livraria, lá estava na capa a pequena Anne com suas grossas sobrancelhas, olhos fundos e um sorriso, como quem diz: “Te preguei uma peça”.


Nunca imaginei que seria tão difícil encontrar nos sebos de São Paulo O Diário de Anne Frank. Mas, por causa disso, tive a certeza de que o livro continua sendo lido por muitos.
E você, como conseguiu o livro? Foi mais difícil ou mais fácil? Pegou emprestado com alguém? Percorreu longas ou pequenas distâncias para consegui-lo? Estou curioso para saber.

Hoje, pretendo ler o Prefácio da edição que comprei. Que tal você fazer o mesmo e amanhã definirmos um plano de leitura?

Espero por você aqui amanhã.

Bom domingo.

15 comentários:

Gaby disse...

Olá, novamente!
Consegui o livro na internet, para acompanhar a leitura por enquanto, mas quero comprar o quanto antes.

Até a próxima,
Gabriela Parra

Camilla disse...

hahaha, ri muito, Carlos!!

Eu já li esse livro e também assisti o filme "Escritores da Liberdade". Minha fase Anne Frank foi em 2008, um pouco antes da Fe8 (nosso tema foi Alemanha, lembra?).

O Diário de Anne Frank, na verdade, eu dei de presente para Bia, de aniversário. E já avisei antes de entregar para ela: "Bia, eu estou te dando porque eu quero ler também, então trata de ler rápido e me emprestar", hahaha.

Boa leitura a todos!
E é como você disse: Anne Frank não sai de moda e ainda tem gente lendo. É um livro forte, o pai dela quase que não quis publicar (já que fala muito da intimidade de uma menina que está passando por transformações, ainda descobrindo o mundo). Mas hoje é referência. E um dos livros obrigatórios para todo mundo.

Beijão.

Elisama disse...

Hi Guys!

Bom profº Carlos, minha caça ao livro não foi tão emocionante quanto a sua rs (adorei ler o diário) acabei pesquisando o livro na net mesmo e como eu tinha bônus no site submarino acabei de dar o último click da compra e acho que no mais tardar até terça estou com o meu brand new book em mãos também, já estou ansiosa, vou ver se consigo ler o prefácio em pdf mesmo, só para não ficar atrasada! Abraços e até mais!

Júlia disse...

Oi, Sor!
Passei pra falar que consegui o meu livro!
Foi muito legal, porque disse pros meus pais que precisava comprar o livro, e ai fomos até a livraria cultura lá da Paulista, que sempre tive curiosidade de conhecer! Foi muito bom!
Bjos!

Carlos Assis disse...

Olá, pessoal!

É bom saber que vocês já estão com os livros.

Quem ainda está aguardando ele chegar, curta aquela ansiedade que antecede cada toque de campainha, na expectativa de que seja o carteiro (ou o serviço de entrega do submarino, não é Profª Elisama?).

Camilla, essa é uma boa oportunidade para reler o livro.

Júlia, você conheceu a Livraria Cultura do Conjunto Nacional, na Paulista! Que legal! Essa livraria é ótima...

Boa leitura de prefácio a todos!

Matheus Knoxx disse...

Olá Professor, logo que você comentou conosco do 8ºano eu cheguei em casa ancioso falando. Mãe Mãe compra o diário de ANNE FRANK. ela respondeu que ia ver.
HOJE! 05/05/10 Cheguei em casa por volta das 6:15 vi uma embalagem em cima da mesa do meu computador. começei a abrir mesmo dizendo que era da minha mãe. ai tinha um Bilhete.
"PRESENTE"
De:Solange
Para:Matheus
MENSAGEM

Para você curtir com seus amigos e seu Professor CARLOS!

Dai já fiquei feliz. e ta ai minha história de como conseguir o LIVRO!

Carlos Assis disse...

Nossa, Matheus, agora fiquei feliz! Quando a sua mãe chegar do trabalho, agradece ela... presentão!

Então, trata de começar a leitura!
Bom divertimento.

Um abraço e até mais!

DonaKbca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DonaKbca disse...

Bom eu como irmã do Matheus tenho outra versão para a compra do livro.

Ele pediu para a nossa mãe, ela falou que pensaria no caso dele. Quando ele saiu eu disse a ela que livros são sempre um bom investimento, e ela resolveu comprar.

Então fui no site da fnac, e comprei uma edição da editora bestbolso, estava tudo certinho, mas por um problema do site, a compra não finalizou como deveria, então tive que fazer uma nova compra. Na fnac que não tinha mais o livro, então comprei na livraria Galileu, e o livro chegou hoje, como forma de presente para o Matheus.

Vou ler o prefacio depois volto para contar.

A propósito, esqueci de dizer, eu e o Matheus vamos ler o mesmo livro, acredito que essa seja uma forma de motiva-lo ainda mais com a leitura.

Carlos Assis disse...

Olá, Amanda.

Sem dúvida o incentivo familiar é um dos maiores que o jovem pode ter para despertar o gosto pela leitura.

As experiências que vocês poderão trocar nessa leitura em conjunto é muito construtiva.

Boa leitura e parabéns pela iniciativa.

Doppel'. disse...

Ahhh como eu estou atrasado! bom, pelo menos pra postar minha pequena grande epopéia...
Pra conseguir o livro não foi tão difícil, lá na escola em que eu trabalho existe um acervo de livros e neste acervo de livros existe uma edição do diário de Anne Frank e então peguei o livro emprestado, mas sabe, existe um ENORME porém, o livro é em ingles! Meuuu, é muuito bom! Vou aproveitar e pedir ajuda a Profª Elisama ahusahsuahsu

bom, foi isso!
--

Visite:A Rádio Boemia e a A Casa do Pedrinho!

Liah disse...

Estou ainda mais atrasada. Mas melhor do que passar reto.

Eu sou filha de judeus, então O Diário de Anne Frank sempre foi um livro essencial na nossa biblioteca. Meu pai disse que ele já teve várias edições, emprestava e não devolviam. Quando perguntei se tinha e expliquei todo o porque, começou a elogiar e me motivar. Meu avô saiu da Polônia com 6 anos fugindo da II Guerra Mundial, o que me faz pensar ainda mais na realidade de toda a história do livro.

É isso.
Estou montando um post pra divulgar sua ideia. ^^

Carlos Assis disse...

Oi, Victor e Julia (não sei se vou me acostumar a chamá-los pelos pseudônimos,rs)!

Acho que a experiência dos dois será muito interessante para o grupo: um lendo o diário em inglês (mais uma edição para os interessados em compará-las) e o outro com uma história familiar que tem ligação direta com os fatos narrados no livro.

Julia, não se preocupe com o atraso. Dá tempo de acompanhar o grupo, estamos no começo.

Sejam bem-vindos.
Boa leitura e até amanhã.

guilherme disse...

Professor Carlos , aqui é o Guilherme do 8º ano . Venho aqui lhe fazer uma pergunta : Tem alguma diferença no livro tipo Bestbolso e no livro normal ?

Grato Guilherme

Carlos Assis disse...

Oi, Guilherme!

Eu não folheei o livro, mas acho que não há diferença no texto. Talvez não tenha fotos. Mas me parece uma boa edição.

Um abraço