domingo, 16 de maio de 2010

O diário dos leitores de Anne Frank (3)

Foi difícil parar a leitura no mês de setembro de 1942, ainda mais depois de ler as primeiras linhas do primeiro parágrafo do dia 1º de outubro: “Ontem tive um medo terrível. Às oito horas a campainha da porta tocou de repente.” Mas consegui fechar o livro. Se tivesse seguido a leitura, acho que já estaria em 1943.

Alguns alunos que conversaram comigo durante a semana disseram o mesmo. Outros, de tão envolvidos com a história, não conseguiram controlar a vontade e seguiram adiante. Acho que o motivo disso é a transferência da família Frank para o “Anexo Secreto”. É como se agora, a menina, tão parecida com outras de sua idade, tivesse se tornado a Anne Frank que conhecemos nos relatos de leitores de seu diário: uma refugiada, alguém que teve de conter os mimos e colocar as vontades infantis de lado para lutar pela sobrevivência até o fim da guerra.

Lendo esses primeiros dias de Anne no “Anexo”, fui surpreendido pelas instalações que abrigaram as duas famílias – os Frank e os Daan. Imaginava o sótão como o porão que abrigava o judeu de A menina que roubava livros. Um lugar escuro, úmido, malcheiroso e com uma mobília que, de tão improvisada, não poderia ser chamada dessa maneira. Mas não, como já fazia parte do plano do Sr. Otto Frank a transferência de sua família, as coisas já estavam um pouco mais ajeitadas, o que não deixa de ser um lugar aterrorizante quando você está se escondendo. Será que algum lugar pode ser agradável quando estamos nos escondendo?

O Anexo me interessou. A minha edição traz uma planta dos três pavimentos da casa da rua Prinsengracht, 263 (caso alguém esteja lendo uma versão sem a planta, nos avise, podemos escaneá-la e colocá-la no blog). Como sempre gostei de ler e conferir a localização das personagens em mapas, usei bastante a planta da minha edição para tentar reconstruir na imaginação aquilo que Anne descreveu. Mas foi depois de visitar um site indicado por um dos leitores do nosso grupo que fui capaz de ver, literalmente, o lugar onde Anne ficou com a sua família e com os Daan. O site é o annefrank.org e acredito que seja o oficial. Lá eu encontrei um link onde é possível fazer uma visita na casa da rua Prinsengracht, visitar seus três pavimentos e, claro, o Anexo Secreto. Essa visita 3D me emocionou. Acho que vocês também vão se emocionar. Como disse a Lavínia nos comentários, essa história é triste, e eu pude sentir essa tristeza ao “visitar” o Anexo. Cliquem aqui para irem à área do site onde está a estante que esconde a porta do Anexo. O site é “pesado”, portanto, paciência se a sua conexão não estiver colaborando.

Bem, acho que para essa semana podemos acelerar um pouco a leitura, já que muitos que estavam procurando o livro já o conseguiram; outros já conseguiram acompanhar o grupo e, alguns dos que estão com o livro desde o início, já estão lá na frente, porque não conseguiram parar de ler. Por isso, vamos ler até julho de 1943, combinado?

Espero o comentário de vocês, principalmente depois da visita ao Anexo.

Um bom domingo a todos.

P.S. Ôba! Acho que vou ganhar cookies...

4 comentários:

Doppel'. disse...

Oiie povo, Não quero parar de ler, Não quero parar de ler... A história está muito boa, mas me contive essa semana pra não ler de Outubro pra frente. Agora a vida de Anne me lembra um Big brother, as intrigas do anexo aparecendo, nós descobrimos quem é quem de verdade, uma citação que eu achei legal foi alguma coisa assim " Se você quiser conhecer bem uma pessoa, Você tem que se irritar pelo menos uma vez com ela. Só então é que pode julgá-la." É tão verdadeiro isso, não é mesmo? na minha edição não tem mapa :( porém acessei o site que o profº Carlos recomendou, é totalmente diferente do que eu imaginava, agora é muito mais legal. até semana que vem :D

---
Visite: A casa do Pedrinho e a Radio Boêmia

DonaKbca disse...

Como eu já comentei num post anterior, morei em Amsterdam por um tempo, na época não pude visitar o anexo por estar fechado para reforma, mas passei em frente, e nunca poderia imaginar q lá dentro fosse tão grande. Realmente imaginei que fosse um sotão como qualquer outro, já que em Amsterdam é comum pessoas morarem em sotãos.

Mas me surpreendi com o tamanho do anexo, muito mais espaçoso d q eu imaginava. Claro q ficar preso num lugar desses, com pessoas que nem sempre são agradaveis deve ser horrivel, mas na luta pela sobrevivência vale qualquer coisa.

As noticias q eles recebiam sobre o q estava sendo feito com o judeus é de cortar o coração, e pensar q aquilo poderia estar acontecendo com eles devia ser devastador.

Estou anciosa para proceguir na leitura, bom q esta semana vamos poder avançar um pouco mais.

Boa semana a todos.

Marcial disse...

Boa noite ! Estalei o Firefox, agora foi.. Olha passei a Tarde Lendo'' COloquei no Automatico e li bastante.... Como nao adquiri o Livro , Estou lendo no PDF, E Estou feliz e Triste Ao mesmo tempo ,Pelo fato daque a leitura esta passando a ser mais triste com os sofrimentos descrevidos por ela.
- Dei uma Olhada no Anexo em 3D Lá Muito legal, Conhecer omo era a casa da familia.
Otima noite , No fim de semana vou ler bastante.
Ah!Desculpe por nao postar antes, meu internet explorer nao estava postando..Até Amigos.

Marial disse...

O Site que falei, Como nao lembro do seu E-Mail , Passei por aqui mesmo os sites que encontrei .
Se quiser pode excluir o Comentario
=http://filmessegundaguerra.blogspot.com/
=http://segundaguerra.org/
Até.